Ruído

No post LEQ_LAVG_NEM_NE foi falado um pouco sobre o alguns conceitos e algumas fórmulas de como calcular o ruído. Entretanto faltou citar algumas definições, assim como complementar sobre alguns cálculos de dose e de LAVG.

Definições

Som

É qualquer oscilação de pressão (no ar, água ou outro meio) que o ouvido humano possa detectar. Quando o som não é desejado, é molesto e incômodo, pode ser chamado de barulho.

Ruído

É um fenômeno físico que, no caso da Acústica, indica uma mistura de sons, cujas frequências não seguem uma regra precisa.

Dose de Ruído

A dose de ruído é uma variante do ruído equivalente, para o qual o tempo de medição é fixado em 8 horas. A única diferença entre a dose de ruído e o ruído equivalente é que a dose é expressa em percentagem da exposição diária tolerada.

O ruído contínuo é o que permanece estável com variações máximas de 3 a 5 dB(A) durante um longo período.

O ruído intermitente é um ruído com variações, maiores ou menores de intensidade..

O ruído de impacto apresenta picos com duração menor de  1 segundo, a intervalos superiores a 1 segundo.

O ruído deve ser determinado através da dose diária de ruído ou do nível de exposição representativo da exposição diária do trabalhador, e isto pode ser feito de 2 maneiras:

  • utilizando-se medidores integradores de uso pessoal, fixado no trabalhador (dosímetro);
  • utilizando medidores de leitura instantânea, não fixado no trabalhador (decibelímetro);

Para as medições realizadas através de dosímetro é bem simples obter o resultado. Caso seja feita em toda jornada de trabalho basta anotar o valor da dose registrada. Caso seja realizada em quantidade menor do que a jornada de trabalho, muitos aparelhos apresentam a dose projetada, e se não houver esta opção basta calcular através da fórmula:

Dose projetada = Dose parcial * Tempo de exposição / Tempo de medição




E se utilizarmos os medidores de leitura instantânea, como calcularemos a Dose?

Caso o trabalhador esteja exposto a uma área onde o ruído seja constante, seja contínuo, então basta anotar o valor medido com o decibelímetro.

Mas se caso haja variação de local de trabalho, ou caso o local de trabalho houver variação de ruído, devem ser considerados os seus efeitos combinados, de forma que, se a soma das seguintes frações:

D = ((C₁ / T ₁) + (C₂ / T₂) + … (Cn/Tn)) * 100

D – Dose [%]

C – tempo total de exposição a um nível de ruído específico;

T – tempo máximo permissível a este nível, segundo a tabela da NR15;

Novamente é pertinente citar que as normas foram feitas se baseando na jornada de trabalho de 8 horas diárias e 40 horas semanais. E quando há diferenciação nesta quantidade de horas?

Qual o limite máximo de ruído para uma jornada acima de 8 horas?

L = log (16/T) * 5 + 80
log 2

Onde:

L – limite de exposição em dB(A)
T – tempo de exposição

Exemplo: Qual seria o limite de ruído para um trabalhador que trabalhe 10 horas diárias?

L = log (16/10) * 5 + 80   = 83 dB(A)
log 2

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.