Pirâmides de Segurança

Os estudos das chamadas pirâmides de segurança ou pirâmides de acidentes começaram com Herbert William Heinrich que revolucionou a área de segurança do trabalho com sua teoria de que para 1 acidente sério há 29 acidentes com menor intensidade e 300 quase acidentes. Ou seja, a partir de seus estudos surgiu a primeira pirâmide de acidentes publicado em seu livro Industrial Accident Prevention, em 1931.

piramide

Então em 1969, Frank E. Bird que era diretor de engenharia de uma companhia de seguros dos EUA resolveu aprofundar os estudos de Heinrich e aprofundar os estudos sobre as relações dos acidentes de trabalho.

Bird analisou 1.752.498 acidentes reportados por 297 diferentes empresas dividas em 21 grupos. Foram mais de 1.750.000 trabalhadores verificados, mais de 3 bilhões de horas de exposição, e Bird chegou a seguinte conclusão:

  • Para cada acidente grave, houve 9.8 acidentes com lesões mais leves;
  • Para cada acidente grave, houve 30.2 acidentes com danos a propriedade ou perdas materiais;
  • Ainda foram relatados 600 incidentes ou quase acidente.

Com isso se chegou a segundo e talvez mais comentada pirâmide, a pirâmide de Frank Bird.

piramide bird

No entanto a intenção de Frank Bird não era estabelecer uma pirâmide ou uma relação entre os tipos de acidentes. Segundo Bird a intenção do estudo era mostrar que os acidentes que causam lesões graves são bem menos frequentes que os outros eventos e que as empresas devem agir nas maiores ocorrências para diminuir a chance de um acidente grave ocorrer.

E em 2003 ConocoPhillips Marine realizou um estudo similar, entretanto demonstrando uma relação bem diferente das relações anteriores. O estudo mostrou que para cada fatalidade, houveram 300.000 situações de risco, 3.000 quase acidente, 300 acidentes com lesões leves e 30 acidentes com afastamento.

piramide conoco

Bem o que fica claro em todas as pirâmides mostradas acima é que antes de acontecer um acidente, vários avisos ou vários incidentes ocorrem. E uma das melhores formas de eliminar que os acidentes aconteçam é analisar os quase acidentes, encontrar e tratar a causa raiz do incidente.

Quando estes incidentes de menores expressão acontecem devemos ligar nosso alerta vermelho e tentar identificar e corrigir falhas para que estes não se tornem os incidentes do topo das pirâmides.

Eu recomendo a todos que assistam este vídeo, que retrata bem este tema.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.